UX Design Part 3: Seu projeto atual de UX está funcionando?

O design de UX tem como objetivo criar uma experiência atraente para seus usuários.


É saber o que o usuário deseja e entregá-lo de forma rápida e simples. O melhor design de UX faz o usuário pensar que o site foi criado apenas para ele.

O terceiro de nossa série de quatro partes mostra a você como aprender mais sobre seus usuários e avaliar seu desempenho atual.

Aprenda a ajustar seu design de UX

Você está aqui porque deseja criar a melhor experiência possível para o usuário.

Mas você não pode melhorar até saber o que está quebrado. É hora de aprender mais sobre seus usuários e a experiência deles no seu site.

Etapa 1. Quem são seus usuários?

A primeira pergunta é fácil de responder. É o coração do design de UX: seus usuários.

Quem são eles?

Quanto mais você souber sobre seus usuários, melhor poderá criar para eles.

Google Analytics é uma ferramenta fantástica que registra informações sobre cada pessoa que visita seu site. Dá-lhe uma discriminação demográfica de idade, sexo e localização. Um novo recurso também rastreia os interesses dos usuários (com base no comportamento da Internet). Use essas informações para determinar quem está usando seu serviço.

Na parte 2, falamos sobre a criação de um usuário ideal. Suas análises correspondem ao usuário ideal que você criou? Nesse caso, parabéns, você está alcançando as pessoas certas e esse é o primeiro passo para uma experiência positiva do usuário.

Etapa 2. Como eles chegaram aqui?

Usando o Google Analytics, você também pode acompanhar as consultas de pesquisa que levam as pessoas ao seu site. Isso informa quais perguntas as pessoas estão fazendo. Indica exatamente o que eles estão procurando. Você está fornecendo?

Por exemplo, aqui no Bitcatcha, ajudamos pequenas empresas a encontrar as melhores soluções de hospedagem na web. Quando mergulho em nossa conta do Google Analytics, adoro ver consultas de pesquisa como “qual é o melhor host da web?” porque eu sei que o Bitcatcha tem as respostas! Essa pessoa está tendo uma ótima experiência do usuário.

Quais perguntas seus usuários estão fazendo? E você está respondendo a eles?

Etapa 3. Você está convertendo usuários?

Se você está alcançando o público-alvo certo e está respondendo às perguntas certas, pode assumir que está fornecendo uma boa experiência ao usuário. Agora você precisa de prova fria e rígida.

Simplesmente, você pode saber se o seu design de UX está funcionando, observando seus números de conversão. Eles estão se inscrevendo no seu serviço? Eles estão comprando seu produto?

É hora de voltar ao Google Analytics para encontrar as respostas.

Os indicadores de bom design de UX

Conversões de meta: O Google Analytics possui um recurso interessante que permite acompanhar o comportamento do usuário e suas jornadas. Digamos que sua meta de conversão seja fazer com que os usuários se inscrevam para uma avaliação gratuita. Peça ao Google Analytics para rastrear quantas pessoas acessam sua página inicial, clique na página de avaliação gratuita e inscreva-se. Uma porcentagem alta significa que seu design de UX tornou agradável e simples para eles.

Fluxo de comportamento: Outro recurso interessante do Google Analytics é o “fluxo de comportamento”. Ele mostra a página de destino mais comum. Em seguida, informa onde os usuários vão a seguir e para onde vão depois. Com um bom design de UX, é provável que você veja os usuários seguindo o caminho definido para eles. Página de destino > Mais Informações > conversão. Se houver muitas desistências ou estiverem evitando sua conversão principal, seu design de UX deu errado.

As grandes bandeiras negras de design UX quebrado

Taxa de rejeição: Quando alguém chega ao seu site e sai sem clicar em outro link, isso é chamado de rejeição. Uma alta taxa de rejeição sugere que as pessoas não estão encontrando o que estão procurando. É um indicador importante de design UX ruim.

Baixa taxa de rejeição indica bom design de UX

Visitantes com pouco retorno: Um bom site tem um fluxo saudável de visitantes novos e antigos. Se a estatística de “visitante recorrente” for baixa, isso sugere que você não está fornecendo uma experiência atraente para o usuário. Isso significa que as pessoas não voltam e usam seu serviço regularmente.

O Analytics fornece uma boa visão geral da experiência do usuário. Mas há muito o que você pode fazer com os dados. Para resultados reais, você precisará perguntar diretamente aos usuários.

16 mega dicas para aumentar suas taxas de conversão de comércio eletrônico

Etapa 4. Pergunte aos seus usuários

A melhor maneira de fazer isso é usando questionários particulares. O anonimato significa que seus usuários serão muito mais sinceros e honestos sobre seus pensamentos (em comparação com um grupo de foco, por exemplo).

Você pode criar rapidamente um questionário usando Survey Monkey. Eles ajudarão você a criar uma pesquisa e a integrá-la ao seu site como pop-up. Faça perguntas claras e concisas e incentive a honestidade. Aqui estão algumas boas perguntas a serem feitas:

O que [meu site] faz?

Esta é uma chance de ver quão bem sua proposta de valor se traduz para as pessoas. Seus usuários realmente entendem o que você faz?

Qual é a característica mais frustrante do [meu site]?

As pessoas não estão naturalmente inclinadas a falar negativamente sobre você. Você precisa perguntar a eles imediatamente. Abra-se à crítica e aprenda como melhorar a experiência do usuário.

O que [meu site] poderia fazer melhor e quais recursos você gostaria de ver?

Seus usuários geralmente são os melhores para dizer como se adaptar. Afinal, são eles que usam seu serviço. Deixe que eles lhe digam para onde ir a seguir.

Etapa 5. Rastreamento ocular

O rastreamento ocular é um teste de laboratório que mostra exatamente onde os usuários olham e clicam no seu site.

Uma opção acessível aqui é um software chamado Clicktale. Ele mostra todos os movimentos de um visitante de amostra com mapas de calor e reproduções. Você pode ver ativamente onde os usuários lutam para navegar e ver como eles interagem com seu site em tempo real.

É um mapa visual da experiência de seus usuários.

Etapa 6. Teste A / B

Se você estiver tentando decidir entre dois layouts de navegação ou palavras diferentes, tente os dois! Crie duas páginas de destino separadas e divida seu tráfego igualmente entre elas.

Agora use o Google Analytics para medir o desempenho de cada um. Qual deles incentiva mais vendas, inscrições e conversões? É um indicador claro do seu melhor design de UX.

Etapa 7. Atendimento ao Cliente

Você deve aproveitar a oportunidade de receber feedback fácil e gratuito de seus usuários. As consultas de atendimento ao cliente são uma visão importante da experiência de seus visitantes. Eu gosto de pensar que um usuário que se importa o suficiente para escrever para nós (mesmo negativamente) é um usuário que vale a pena ter. Quais são as perguntas e preocupações mais comuns?

Use essa chance para se conectar com seus usuários e perguntar a eles o que você poderia fazer melhor!

Pensamento final: seu design de UX nunca é ‘concluído’

Seu design de UX nunca é “concluído”. Continue aprendendo mais sobre seus usuários e teste sua experiência.

Abra-se a críticas, aprenda mais sobre seus visitantes e nunca pare de se adaptar.

Confie em nós, o usuário está sempre certo.

Se você achou este artigo interessante, aposto que você também gostará da Parte 4 – Usando a psicologia para fazer os usuários fazerem o que quiser

Jeffrey Wilson Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
follow me
    Like this post? Please share to your friends:
    Adblock
    detector
    map